BCOL Gado proibido Blog

Em 1701 uma Carta Régia proibiu (na zona litorânea) a criação de fazendas de gado que não estivessem vinculadas diretamente aos engenhos de cana. As fazendas de gado para exploração de leite, carne e couro deveriam se fixar a 60 km do litoral. Qual o motivo da proibição? A concorrência do açúcar antilhano, financiado pelos holandeses que foram expulsos do Brasil algumas décadas antes (1654). Se o gado ficasse no litoral e a cana fosse para o interior, a economia colonial perderia a competição da produtividade graças aos custos do transporte para o litoral. O Piauí tem até hoje o menor litoral do país (57 km) justamente porque todos os seus rebanhos se deslocavam pelo interior, pelo sertão, corruptela de desertão, pois as fazendas de gado ocupavam muitas terras, mas com população rarefeita. A permanência dos holandeses por 24 anos (1630 a 1654) em terras pernambucanas foi tolerada enquanto as relações entre produtores brasileiros e invasores holandeses foram cordiais, especialmente na época de Maurício de Nassau (1637 a 1644), um mecenas que trouxe artistas e cientistas europeus, convidou brasileiros para  cargos públicos, emprestou dinheiro aos produtores e foi tolerante em termos religiosos. Nassau foi afastado pela Companhia das Índias Ocidentais, que cortou os créditos, cobrou as dívidas e acabou provocando a Insurreição Pernambucana (1645 a 1654) cujo desfecho foi a expulsão dos holandeses. Expulsos, fixaram seus investimentos nas antilhas.